quarta-feira, 15 de outubro de 2008

MARTIN BEHAIM

foto Wikipédia

Martinho da Boémia, o Globo de Nuremberga e Fernão Évora.

Filho de mercadores de Nuremberga, por volta de 1486, desembarca no Faial, onde acaba por casar com a filha do 1º capitão donatário desta ilha. Ainda hoje, figura em muitos livros como uma figura controversa, sendo muito elogiado por uns e severamente criticado por outros. O seu maior feito, terá sido um dos primeiros globos terrestres conhecidos (o Globo de Nuremberga), apelidado pelo próprio de "Erdapfel".






Este Globo foi apresentado em 1492, nas suas notas, faz 3 menções aos Açores, sendo a segunda a que mais polémica levantou, pois como se costuma dizer "meteu os pés pelas mãos" e inventou umas doações em proveito de membros de sua família. Ornamentando a mentira com outras imprecisões que nada lhe favoreceram a fama de brilhante navegador, cosmógrafo e cartógrafo, tipo: que os Açores tinham 10 ilhas, descobertas todas ao mesmo tempo; bem como a sua posição geográfica, etc.

Agora a outro nível, esta personagem fez parte também do primeiro grande escândalo desta terra documentado, pois a esposa (muito jovem em relação a ele), relacionou-se mais do que devia com o mamposteiro-mor dos cativos em todas as ilhas dos Açores, de seu nome Fernão de Évora. Foi uma carga de trabalhos para este nosso mamposteiro, pois o Pai da Jovem (Capitão - Donatário) fez-lhe a vida negra e cheia de grilhões.

4 comentários:

o que me vier à real gana disse...

O brigado pela lição!
Os Açores parece estarem cada vez mais apelativos. Formidável arquipélago!

Olá, se puder,comente o novo post do "real gana".

LB disse...

Nunca tinha ouvido falar nesta ligação entre os Açores e o Globo de Nuremberga. Muito interessante! Mais um ponto para a Rota das Hortênsias!

Obrigado pela visita ao Gado Bravo, mas o "pasto" está praticamente desactivado, por deserção da restante manada residente.

Agora estou em www.ailhadentrodemim.blogspot.com, um espaço de sangue ilhéu e vistas largas.

Saudações faialenses!

xistosa - (josé torres) disse...

Nunca fui muito forte a História, antes pelo contrário, era infernal ter que saber datas de tudo e por tudo e por nada.
Eram coisas incompreensíveis.
Por isso lembrou-me algo que se perguntassem, eu já não me lembrava.
Até atribuía o Globo de Nuremberga.
A vida da internet é isto ... recordar e aprender.

Mello disse...

Não sabia este capítulo da História dos Açores. O que nós aprendemos uns com os outros?!
Obrigada pela informação!

Beijinhos,


Graça Mello