quinta-feira, 11 de outubro de 2007

AS NOSSAS FREGUESIAS


FLAMENGOS



Única freguesia no interior da ilha, deriva a sua designação dos primeiros povoadores - famílias flamengas - que por aqui se fixaram, atraídas pelo fértil e abrigado vale da ribeira, com algumas fontes de água de muita boa qualidade.













Em 1466, um nobre flamengo, Josse Van Huertere, acompanhado por alguns amigos, realiza uma viagem de exploração à ilha. Não descobre riquezas, mas entusiasmado com a sua beleza e fertilidade, decide ficar e em 1468 obtém a carta do capitão do donatário e autorização do rei para trazer para a ilha colonos desejosos de abandonar uma Flandres devastada pela guerra dos Cem Anos.














São os flamengos que introduzem no Faial o cultivo do pastel, planta tintureira utilizada na Europa, que juntamente com o cultivo do trigo, vão ser o suporte da economia da ilha durante dois séculos.








Nesta freguesia temos a destacar:


- a Igreja (Igreja de N. Sra. da Luz), terá sido edificada pouco depois do povoamento do local. Saqueada por corsários ingleses, destruída e reconstruída por diversas vezes, tanto por sismos como por um incêndio, no momento encontra-se destruída pelo sismo de 9 de Julho de 1998.



- a Ponte, construção iniciada em 1903, só foi concluída em 1908. Esta veio substituir uma antiquíssima ponte pedonal de pedra muito estreita e de pequena altura.



- o Fontanário das Bicas, é bebedouro público datado de 1852. Próximo fica um dos locais onde as lavadeiras da freguesia lavavam as roupas nas poças de água da ribeira.



- a Quinta de São Lourenço, é um espaço privilegiado onde se realizam Feiras e Exposições de Artesanato, Folclore e de Actividades Económicas. É sede dos Serviços de Desenvolvimento Agrário do Faial.




- o Jardim Botânico, instalado na Quinta de São Lourenço, com casa senhorial e uma capela do séc. XVII, criado em 1986, proporcionando aos visitantes o conhecimento das plantas endémicas dos Açores e da Macaronésia e das plantas com propriedades medicinais existentes nas ilhas.




- Largo Jaime Melo, na Estrada da Caldeira, situa-se a Ermida de São João, onde pode desfrutar de mais um miradouro natural. A partir daqui, pode-se subir à Caldeira do Faial.
  • Pesquisa, fotos e texto LE.

3 comentários:

geocrusoe disse...

Algumas vozes discordam que o povoamento nos Flamengos tenha sido motivado sobretudo pela fertilidade do solo, assumem que foi mais a segurança contra os corsários que levou povoadores para zonas menos expostas aos invasores... aliás motivo igualmente invocado para a Ribeirinha se ter afastado do mar e cuja motivação estava bem caracterizada no carro alegórico da semana do mar deste ano. Temas para discussão, aspecto que está a faltar neste espaço de comentários.

Lc disse...

Sem dúvida, uma razão também muito válida...
Mas quem saberá ao certo?

Srdjan disse...

You have good pictures too, buythe way I don't understent your ligva.How ever I can imaged what is tolking about :)